FAÇA-SE EM MIM… (Lc 1,26-38) – Texto de Antônio Carlos Santini, da Comunidade Católica Nova Aliança.

imaculadaA cena deste Evangelho é o momento da Encarnação do Verbo. O mensageiro divino vai à jovem Maria de Nazaré. Qual seria o objetivo de sua missão? Por que Deus terá enviado Gabriel até uma pobre aldeia dos galileus? Acompanhemos a meditação de François Trévedy:
“Tendo batido a tantas portas sucessivas, Deus acaba por bater a esta porta: a mais baixa, a mais estreita, a mais obscura; a esta “porta do céu” –Felix coeli porta – que é de início, simplesmente, a porta da terra. Ele bate à parede da carne mais escondida para escutar o som que esta lhe dará: Ecce ancilla Domini [eis a escrava do Senhor].
É ali, bem baixo, que se passará o mínimo anel, a menor das alianças; é ali, no mais ínfimo da condição humana, que se vai escrever e fazer a conjunção de coordenação do Verbo e do homem, do Nome e de nós: Emmanuel.
Esta página não é uma mitologia, mas, sob o signo da Mulher – Signum magnum (Ap 12,1) – é a história da Aliança em sua extrema consequência carnal, pois, afinal, em seu desejo apaixonado pela carne, Deus é perfeitamente lógico consigo mesmo: ele vem, ele quer fazer seu noviciado de extrema pequenez, para virar de cabeça para baixo os tronos das ideias imperiais que nós fazemos dele e que, na realidade, só escondem nossas próprias pretensões.
Ingreditur haec ínfima Iesus Christus [Jesus Cristo penetra nos subterrâneos deste mundo – S. Leão Magno]. Em outras palavras, o Infinito faz conhecimento carnal com o ínfimo.”
Fracassaram todas as alianças anteriores. Desde Noé, passando por Abraão e Davi, os filhos de Eva foram infiéis à aliança com o Altíssimo. Que faz ele, por não desistir de seu anseio de aliança conosco? O Altíssimo desce. E precisa de um espaço humano uma carne – que o acolha de forma plena, cabal, definitiva. Este “espaço” é Maria, Mãe de Deus. E sua resposta ressoa pela imensidão do Cosmo: “Faça-se em mim segundo a tua Palavra!”
Não é ela quem faz. Ela diz: faça-se, seja feito. E o agente, o Autor do grande milagre – o Verbo feito carne mortal – é o Espírito criador, o mesmo que insuflara as narinas do primeiro homem.
O Filho que ela nos dá como presente de Natal é o primeiro homem de uma nova humanidade: o novo Adão, Jesus, delícia do Pai, delícia de todos nós.

Orai sem cessar: “Conservo no coração tuas palavras…” (Sl 119,11)

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s