QUEM ERA O MAIOR? (Mc 9,30-37) – Texto de Antônio Carlos Santini, da Comunidade Católica Nova Aliança.

imagesCRIANÇAEm casa, após longa caminhada, Jesus pergunta aos discípulos o motivo da discussão que ouvira entre eles. Barbas de molho, eles se calam, pois sabiam da sua infantilidade ao discutirem sobre a própria importância.
Parece que as pessoas continuam as mesmas, preocupadas com a própria imagem, ansiosas por conseguirem atenção, glória e aplausos. Mesmo no espaço das comunidades religiosas, fala-se na importância de projetar uma imagem positiva, uma espécie de “merchandising” espiritual para atrair novos fiéis.
É óbvio que o Evangelho se situa no polo oposto, aquele obscuro extremo ocupado por Francisco de Assis e sua pobreza, Teresa de Lisieux e seu apagamento, Oscar Romero e seu sangue derramado. Andrajos, silêncio e martírio: eis a imagem que cabe aos santos… Este é o seu “curriculum vitae”…
A criança que Jesus abraça neste Evangelho é símbolo da pequenez que devemos buscar. A procura de grandezas abre as portas à ruína espiritual. Nas palavras de Isaac, o Sírio [Séc. IX], “o humilde sempre recebe a compaixão de Deus”. E mais: “Desce mais baixo que tu mesmo e verás a glória de Deus em ti, pois ali onde germina a humildade, ali mesmo se espalha a glória de Deus. Se tens a humildade em teu coração, Deus te revelará sua glória. Despreza-te em tua grandeza e não te engrandeças em tua pequenez. Não busques ser honrado, pois estás cheio de feridas. Repele a honra e serás honrado. A honra foge daquele que corre atrás dela. Mas a honra persegue quem a afugenta, e prega a todos os homens a sua humildade”.
Quanto esforço, quanto desgaste em nossas vidas quando pagamos tributo à aparência e à imagem! Desde a dona de casa que impele o marido a comprar novas cortinas, já que a vizinha também comprou, até o adolescente que pede aos pais um tênis da moda, dez vezes mais caro que um calçado “normal”. As empresas da área de cosméticos veem seu faturamento subir às nuvens, pois a propaganda convence os usuários do imperativo de sua aparência, mesmo que o melhor creme – e o mais caro! – seja aquele produzido a partir da placenta humana, em abortos programados.
Quem era o maior? Qual a paróquia mais procurada? Qual o templo mais monumental? Qual o CD mais vendido? Qual o pregador mais aplaudido? Certamente não deve ser Jesus Cristo, que assumiu a forma de escravo… humilhou-se até a morte – e morte de cruz (cf. Fl 2,7-8). Com certeza, Jesus nunca foi o maior…

Orai sem cessar: “O Senhor ampara os humildes!” (Sl 147,6)

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s