ENTRAI POR SUAS PORTAS! (Sl 100 [99]) – Texto de Antônio Carlos Santini, da Comunidade Católica Nova Aliança.

JESUS-LEVANTA-TENa Primeira Aliança, bem antes da revelação plenária, o povo que andava na escuridão (cf. Is 9,1) esperava igualmente por um desfecho nas sombras, no Xeol, mansão sombria, onde os mortos não louvam o Senhor (cf. Sl 115,17). Entretanto, as profecias falavam de uma iluminação por parte de Deus, de modo a expulsar as trevas do caminho e abrir o acesso ao Senhor.
Mesmo então, a meio caminho da História da Salvação, Israel é convidado a entrar pelas portas que Deus prepara ao seu povo. Palavra densa de significado nas Escrituras, a “porta” representa o “limiar”, a linha divisória a ser transposta pelo fiel, definindo quem estava “dentro” e quem ficava “fora”, como as virgens convidadas para o casamento (cf. Mt 25,10-11).
Lembrar, ainda, que as portas da cidade eram o local onde os litígios eram julgados, verdade e falsidade eram separadas. No mesmo portal o general vencedor era aclamado. Passar pelo pórtico do Templo era mergulhar no espaço sagrado do Deus Três Vezes Santo. Mas foi preciso esperar por Jesus para que a verdadeira porta estivesse disponível: “Em verdade, em verdade vos digo: eu sou a porta das ovelhas. Quem entrar por mim será salvo; poderá entrar e sair, e encontrará pastagem”. (Jo 10,7.9)
Ao comentar este Salmo, Santo Agostinho faz uma inesperada aplicação do termo “porta”. Ele diz: “Os pórticos são o começo. Começai pela confissão. Confessai que não vos fizestes a vós mesmos, louvai vosso Criador. Ele seja teu bem, pois ao te afastares dele, praticaste o mal que vem de ti. ‘Transponde seus pórticos com cântico de confissão.’ O rebanho atravesse os pórticos. Não fique fora, em poder dos lobos. E como há de entrar? ‘Pela confissão.’ A porta, isto é, o início seja a confissão.”
É a mesma compreensão de nossa Liturgia, que inclui nos ritos de entrada um Ato Penitencial, recordando nossa condição de pecadores. Vem de longe a percepção de que não se pode atravessar de qualquer maneira o limiar do espaço sagrado. Outro salmo interroga: “Senhor, quem entrará no santuário para te louvar?” (Sl 15)
Em muitas igrejas, logo no portão de entrada se encontra a pia batismal, lembrando que o sacramento do Batismo foi o pórtico de entrada para a vida da Graça. Não seria o caso de encontrar também, nessa mesma linha divisória, o antigo confessionário que nos permite reentrar na mesma vida?

Orai sem cessar: “Abri-me as portas da justiça:
entrarei para dar graças ao Senhor!” (Sl 118,19)

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s