SE ESTIVESSES AQUI… (Jo 11,19-27) – Texto de Antônio Carlos Santini, da Com. Católica Nova Aliança.

ressurreiçãoEsta frase é de Marta, irmã de Lázaro de Betânia. Jesus fora avisado com antecedência sobre o estado grave do amigo, mas deixou que escorresse a areia de três longos dias antes de se mover. Eram apenas 6 km de caminhada, mas Jesus preferiu esperar…
Enfim, Lázaro já estava morto e sepultado quando o Amigo chegou. E Marta se lamenta: “Se estivesses aqui, meu irmão não teria morrido!” Não me parece uma queixa, mas um ato de fé! Marta conhece Jesus bem de perto, além das notícias que corriam pela Palestina, ela teria presenciado a ação terapêutica de Jesus, que devolvia a vista aos cegos e a audição aos surdos. Mais de uma vez, ele provara ser o Senhor da vida…
Mas Lázaro estava morto. Marta terá agora a oportunidade de aprofundar sua fé. Vai descobrir, além de toda esperança, que o mesmo Jesus que curava um enfermo, também pode devolver a vida a um morto. Nas palavras do Mestre: “Eu sou a ressurreição e a vida” (v. 25).
Marta crê na ressurreição, mas naquela vida que os mortos vão recuperar no fim dos tempos, no grande Dia do Senhor. E não é disso que Jesus está falando. Ele se refere à reanimação imediata de um defunto, chamando-o poderosamente de volta à vida atual, tal como ele fez com o filho da viúva de Naim (Lc 7,11) e com a pequena Talita (Mc 5,41).
Aliás, aqui se vê a impropriedade em falar da “ressurreição” de Lázaro, pois o que ocorre é uma “reanimação”. O irmão de Marta e Maria volta à vida para mais alguns anos aqui na terra, mas não escapará da morte, etapa de todos os mortais. Por ora, mais alguns anos serão dados a Lázaro, mas a verdadeira ressurreição é para o fim dos tempos, na glorificação final do Filho de Deus.
“Se estivesses aqui, meu irmão não teria morrido…” O engano de Marta é bem o nosso engano. Quantas vezes temos a impressão de que Jesus se ausenta, se afasta, se esquece de nós, indiferente à nossa morte de cada dia, quando nos vemos traídos, abandonados, feridos, humilhados…
Ora, Jesus nunca nos abandona. Está sempre presente ao nosso lado, mesmo quando parece demorar-se. E se, algum dia, nos sentirmos mortos, logo ouviremos a voz poderosa, ecoando nas quebradas: “Lázaro, vem para fora!”

Orai sem cessar: “Tornarás a dar-me vida,
me farás subir de novo dos abismos da terra!” (Sl 71,20)

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s