PEDIRAM QUE FOSSE EMBORA… (Mt 8,28-34) – Texto de Antônio Carlos Santini, da Comunidade Católica Nova Aliança.

porcosOs exegetas racionalistas afirmam que os demônios não existem. São figuras nascidas da superstição. Segundo esses doutores, os antigos chamavam de possessão aos casos de epilepsia, alucinações, demência.
Ora, para desespero dos sábios, o Evangelho de hoje registra uma anomalia médica: a epilepsia suína. Os demônios expulsos dos dois possessos invadem a grande manada (2000 porcos, anota São Marcos! Cf. Mc 5,13) e, subitamente infectados pela “moléstia”, os porcos têm um acesso de epilepsia (sic) e se lançam ao mar, em lamentável episódio de suicídio coletivo!
Ironia à parte, o fato é que os moradores da cidade próxima (Gadara? Gerasa?) não se alegraram com a libertação dos dois infelizes. Ao contrário, ficaram chocados com o grande prejuízo e pediram a Jesus – aquele desmancha-prazeres – que se retirasse da região. Com mais alguns milagres da mesma natureza, iriam todos à falência…
Até poderíamos achar graça se o mesmo não acontecesse conosco… Quanta gente mantém distância do Senhor, temendo que ele peça algum sacrifício, proponha alguma privação, algum gesto de heroísmo espiritual? Quanta gente vive em busca de um Deus lucrativo, que faça da religião um investimento? Quanta gente seguindo a “teologia da retribuição”, segundo a qual Deus fica obrigado a multiplicar os dons e ofertas que damos à Igreja! E quanto mais somos fiéis, mais ricos ficamos!
Ora, nosso Deus é pobre. Jesus Cristo não tinha onde reclinar a cabeça. Andava a pé. Não foi aclamado sobre um cavalo puro-sangue, com arreios de prata, mas sobre um ridículo jumentinho! E os ricos que se aproximavam do Mestre não demoravam a empobrecer, como Zaqueu a distribuir os bens acumulados de modo fraudulento.
E que tal o elogio feito por Jesus àquela viúva pobre, que jogou no cofre das esmolas seus dois últimos tostões? (Cf. Mc 12,42-44.) E a condição imposta ao jovem rico que ansiava por segui-lo: vender todos os seus bens e doar aos pobres? (Cf. Lc 18,22-23.) Não temos outra escolha: ou Deus ou as riquezas. (Cf. Mt 6,24b.) Se tentamos conciliar as duas coisas, acabamos por chegar à situação dos Gadarenos: lamentar os prejuízos causados por Jesus. E pediremos que ele vá para bem longe de nós…
A quem escolher? Jesus? Ou os porcos?

Orai sem cessar: “Não tenho senão a Vós, Senhor!” (Est 14,14b)

Anúncios

Um pensamento sobre “PEDIRAM QUE FOSSE EMBORA… (Mt 8,28-34) – Texto de Antônio Carlos Santini, da Comunidade Católica Nova Aliança.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s