EU TE BENDIGO, PAI! (Mt 11,25-30) – Texto de Antônio Carlos Santini, da Comunidade Católica Nova Aliança.

pequenoQue se passa neste Evangelho, de modo fulgurante, senão a emergência, o afloramento, a erupção à luz do meio-dia da condição filial de Jesus? Quem faz esta pergunta é François C-Trévedy, em seu livro “Sermons aus Oiseaux” (Ad Solem, 2009). Na oração de Jesus de Nazaré, o vocativo é sempre “Pai”, “Abbá”: a oração de um Filho…
Não é a prece dirigida a uma potestade distante, a entidades ameaçadoras, a um panteão inatingível. Um Filho fala ao Pai. Precisamos aprender a rezar com Jesus…
Qual o motivo da ação de graças de Jesus? “Tu revelaste isto aos pequeninos…” ISTO é o mistério da filiação de Jesus e de nossa afiliação nele, diz Trévedy. E prossegue: “Em uma espécie de à parte, do qual são testemunhas os mais próximos, Jesus faz eucaristia, alto e bom som, do desígnio do Pai, da revelação do Pai, da qual ele mesmo é o objeto, o ator e o instrumento, pois se cabe ao Filho revelar o Pai (cf. Mt 11,27), cabe igualmente ao Pai revelar a identidade filial de Jesus, muito além do que poderiam sugerir sobre ele a carne e o sangue (cf. Mt 16,17)”.
“Na extrema pequenez de sua humanidade, Jesus confessa sua compreensão sobre o Pai, sobre o processo do Pai que esconde daqueles convencidos de ver bem (cf. Jo 9,41), enquanto revela àqueles que reconhecem a noite da qual nasceram. Deus, não dos sábios e doutores, Deus de Jesus Cristo.”
Aos pequeninos, Deus se revela. Aos soberbos, ele se oculta. E quem é o menor de todos os pequeninos e, por isso mesmo, o primeiro a acolher essa revelação? É o próprio Jesus, diz Trévedy. “Seguramente, o primeiríssimo beneficiário desse ‘apocalipse’ é o Todo-pequeno por excelência”. Pequeno em tal escala, que ali fica sozinho, sem outra companhia.
A religião de Jesus Cristo não é um culto de vencedores. O templo de Jesus Cristo não é frequentado por conquistadores. Os fiéis de Jesus Cristo não seguem um grande líder mundial. No coração dessa religião única, como brasa sob as cinzas, pulsa um segredo…
“O segredo no qual são iniciados os pequeninos é nada menos, em definitivo, que o próprio Segredo trinitário, o mútuo tutear entre Pai e Filho na língua inefável do Espírito.” Isto ajuda a entender as escolhas de Deus…

Orai sem cessar: “Senhor, abençoa teus filhos em teu seio!” (Sl 147,13)

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s