ALEGRAI-VOS! (Mt 28,8-15) – Texto de Antônio Carlos Santini, da Comunidade Católica Nova Aliança.

alegrai-vosBoas novas acendem a chama da alegria. Foi assim na Anunciação, quando Maria ouve o convite de Gabriel. Era assim que o profeta animava a Filha de Sião (cf. Sf 3,14). A mesma vocação à alegria se apresenta às mulheres que foram ao túmulo de Jesus.

Quando alguém faz sua experiência pessoal, tocado pela graça de Deus, é impossível ocultar a profunda alegria que brota desse encontro. Ao escrever sua trajetória de descoberta de Deus, C.S.Lewis intitulou seu livro de “Surpreendido pela Alegria” [Surprised by Joy].
Precisamos urgentemente desconfiar de nossa vida cristã se a alegria permanece ausente. Recentemente, o Papa Francisco vem batendo na mesma tecla, a ponto de gravar a palavra alegria [gaudium] na capa de sua Encíclica. Vamos revisitar suas palavras. Logo na Introdução, ele escreve:
“A ALEGRIA DO EVANGELHO enche o coração e a vida inteira daqueles que se encontram com Jesus. Todos quantos se deixam salvar por Ele são libertados do pecado, da tristeza, do vazio interior, do isolamento. Com Jesus Cristo, renasce sem cessar a alegria. Quero, com esta Exortação, dirigir-me aos fiéis cristãos a fim de os convidar para uma nova etapa evangelizadora marcada por esta alegria e indicar caminhos para o percurso da Igreja nos próximos anos.” (EG, 1)
Nosso mundo ficou triste. A cidade é triste. A TV é triste. O próprio Carnaval se desfaz nas cinzas de uma quarta-feira triste. Francisco alerta:
“O grande risco do mundo atual, com sua múltipla e avassaladora oferta de consumo, é uma tristeza individualista que brota do coração comodista e mesquinho, da busca desordenada de prazeres superficiais, da consciência isolada. Quando a vida interior se fecha nos próprios interesses, deixa de haver espaço para os outros, já não entram os pobres, já não se ouve a voz de Deus, já não se goza da doce alegria do seu amor, nem fervilha o entusiasmo de fazer o bem. Este é um risco, certo e permanente, que correm também os crentes. Muitos caem nele, transformando-se em pessoas ressentidas, queixosas, sem vida. Esta não é a escolha duma vida digna e plena, este não é o desígnio que Deus tem para nós, esta não é a vida no Espírito que jorra do coração de Cristo ressuscitado.” (EG, 2)
Fala-se tanto em evangelizar. Colhe-se, porém, uma colheita parca. Tudo indica que estamos usando a tática errada, ancorados no tom roxo da Sexta-feira Santa. E enquanto a alegria irradiada da Páscoa não for nossa marca registrada, os convidados permanecerão em outros banquetes…

Orai sem cessar: “Puseste a alegria no meu coração!” (Sl 4,8)

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s