É A MIM QUE RECEBE… (Mt 18,1-5.10) – Texto de Antônio Carlos Santini, da Comunidade Católica Nova Aliança.

jesus_ovelha1            Evidentemente, qualquer pessoa se sentiria muito honrada ao receber a visita de Jesus. Dificilmente alguém se recusaria a atender a um pedido de Jesus, que viesse a bater à sua porta. Para corresponder ao pedido, seríamos capazes de notáveis gestos de heroísmo…

Ora, Jesus anda por aí, disfarçado de “pequenino”, e parece que temos dificuldade em reconhecê-lo. Talvez porque nossa sociedade focalize seus olhares e suas câmeras sobre os “grandes”, os que se destacam, os ídolos dos palcos, das telas e dos estádios… E Jesus anda por outras paragens, oculto nas enfermarias do hospital, no pátio das creches, nas celas do presídio.

Em tom de alerta, vem a voz de Jesus: “Vede lá, não desprezeis um só destes pequeninos!” (Cf. v. 10.) Des-prezar é sinônimo de depreciar. Para desprezar alguém, não precisamos insultar nem ofender, basta avaliar que ele não tem valor, não tem importância, não merece nossa atenção. Tendemos a dar mais valor aos que nos ajudam, colaboram conosco, financiam nossos projetos…

Se ouvíssemos de fato o ensinamento do Mestre, faríamos exatamente o contrário: gastaríamos nosso tempo e nosso dinheiro com aqueles que precisam de nós e não têm como recompensar nosso “investimento”. Assim agia Madre Teresa de Calcutá, ao trocar as alunas do colégio de ricos pela favela das crianças miseráveis. Assim age o pároco ao gastar seu tempo com as pessoas aflitas que o procuram, com os penitentes do confessionário, com as crianças do catecismo. Assim age a merendeira da escola que distribui a sopa com um sorriso nos lábios…

Em uma sociedade contabilizada, logo passamos a colar etiquetas nas pessoas: as que “valem” mais e as que “valem” menos. Como se o valor de alguém estivesse na conta bancária, na cor da pele, nos seus títulos de doutor. Enquanto isso, fechamos a porta (e o coração) aos deserdados do sistema.

Lembram-se de Jesus? Foi acusado de andar no meio de bêbados e prostitutas, de se juntar à ralé de sua época, recusando alianças com os poderosos. Se Ele voltasse hoje, quais seriam os seus companheiros?

Ainda é tempo… Ainda posso abrir espaço em meu coração para os “pequeninos” que o próprio Jesus iria atender…

Orai sem cessar: “Ele carrega ao colo os cordeirinhos,

e conduz a lugar fresco as ovelhas que amamentam.” (Is 40,11)

 

 

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s