POR FORA PARECEM BELOS… (Mt 23,27-32) – Texto de Antônio Carlos Santini, da Comunidade Católica Nova Aliança.

sepulcros caiados  O povo antigo tinha um dito para nos alertar: “por fora, bela viola; por dentro, pão bolorento”. Neste Evangelho de tonalidade assustadora, Jesus emprega uma linguagem ainda mais forte: “sepulcros caiados”. Para os judeus, quem esbarrasse em um túmulo, ficaria ritualmente impuro e deveria passar por complicado processo de purificação. Daí o costume de caiar os sepulcros, de modo que ficassem bem visíveis e ninguém os tocasse por descuido. No entanto, mesmo limpinhos por fora, nada mudava sua podridão interior. Não adianta salvar as aparências…
Jesus se vale dessa imagem crua para denunciar a falsidade dos homens da religião judaica que “vendiam uma imagem” exterior de piedosos quando, por dentro, alimentavam sentimentos contrários à Lei de Deus, como a autossuficiência, a vaidade e a avareza. É para eles – os religiosos de fachada – que Jesus reserva o adjetivo “hipócritas” (cf. Mt 23,13; Mc 2,16).
Em sua juventude, quando morava em Nazaré, é bem provável que Jesus tenha visitado uma das cidades de cultura helenizada, ali mesmo na Galileia, como Tiberíades ou Cesareia de Filipe, onde peças de teatro eram representadas nas arenas. Nestas, os atores usavam máscaras sobre o rosto (trágica e cômica) e simulavam tristeza ou alegria, lágrimas ou gargalhadas, conforme o seu papel. Claro, eram sentimentos fingidos, não correspondiam ao íntimo dos artistas.
Jesus se vale desta situação (a de estar “debaixo da máscara”) para definir a atitude dos fariseus que rondavam o Templo de Jerusalém. Não havia nenhuma sinceridade em seu culto, em seus jejuns, em suas orações de pé, à vista de todos, tampouco em suas esmolas lançadas bem do alto para que as moedas retinissem nas arcadas do santuário e todos as percebessem… (Cf. Lc 21,1-4)
Por oposição, Jesus de Nazaré se mostra atraído pela oração daquele publicano anônimo que se humilha e confessa o próprio pecado (Lc 18,13), e ainda elogia o publicano Zaqueu, disposto a reparar suas falcatruas, com uma frase de admiração: “Hoje a salvação entrou nesta casa!” (Lc 19,9) Na contramão de nossa sociedade, Jesus quer apenas a sinceridade de coração: só os corações que se abrem à luz podem receber os cuidados do Senhor, que incluem a cura e o perdão.
Os que parecem bons (escribas e fariseus) são rejeitados. E para escândalo dos honestos, aqueles que parecem maus (prostitutas e publicanos) ouvem promessas de salvação. Qual será o nosso grupo?

Orai sem cessar: “Senhor, sabeis tudo de mim…!” (Sl 139,1)

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s