HIPÓCRITAS! (Mt 23,13-22) – Texto de Antônio Carlos Santini, da Comunidade Católica Nova Aliança.

hipócritas  Nesta série de ásperas cominações que Jesus arremessava contra escribas e fariseus, a razão de palavras tão duras era a grande distância entre o que eles ensinavam publicamente e o que eles viviam em seu íntimo. A transmissão da doutrina fora por eles transformada em um aranhol de minúcias que mais afastava do que aproximava de Deus, enquanto o próprio coração da Lei não era levado em conta. Na expressão do próprio Jesus, “coavam a mosca e engoliam o camelo”.
E o pior era a atitude de manter uma fachada digna de elogios e respeito, enquanto o interior cheirava mal, merecendo para eles o rótulo de “sepulcros caiados”. O termo “hipócrita”, de origem grega, designava alguém que interpretava um papel no palco. No teatro grego (e a Palestina helenizada ostentava teatros de arena nas grandes cidades) o ator usava uma máscara, que os romanos chamavam de “persona”, pois a voz do ator “soava” através dela (daí o termo “personalidade”).
Claro, teatralizar é fingir. A atriz chora com a máscara trágica, mas no íntimo não está sofrendo. O ator ri com a máscara cômica, mas no íntimo pode estar amargurado. Há um descompasso entre o lado de fora (a máscara) e o lado de dentro (o coração). É possível que o próprio Jesus de Nazaré, vizinho de Cesareia de Filipe, tenha presenciado uma dessas encenações. Daí o termo “hipocrisia”.
Só que nossa relação com Deus não é nenhum teatro, não inclui encenações. E foi a falta de sinceridade no culto e na vida dos homens ligados ao Templo o alvo da denúncia de Jesus, o mesmo que sempre acolhia o humilde rebaixamento de quem não se julgava digno de receber favores (cf. Mt 8,8; 15,27).
O monge do deserto Macário, o Grande [300-390 d.C.], nos exorta:
“Esforcemo-nos, pois, por nos convertermos com um coração sincero e nos aproximarmos de Deus. Não desesperemos de nossa salvação. Se nos parece difícil, até mesmo impossível, converter-nos dos inumeráveis pecados dos quais já contraímos o hábito, lembremo-nos e consideremos como o Senhor, em sua bondade, devolveu a vista aos cegos, restabeleceu os paralíticos, curou todas as doenças, ressuscitou os mortos já quase decompostos e desfeitos na terra. Quanto mais Ele não converteria uma alma que se volte para Ele, implore sua misericórdia, peça sua ajuda! Ele em pessoa estará pronto a nos socorrer. É por isso que Ele é misericordioso, vivificador, curando paixões incuráveis, realizando a redenção daqueles que o invocam e se voltam para Ele.”
Somos todos pecadores. Qualquer tentativa de simular santidade é perda de tempo e de energias. Como Davi, confessemos nosso pecado…

Orai sem cessar: “Cria em mim, ó Deus, um coração puro!” (Sl 51,12)

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s