SERÁ CHEIO DO ESPÍRITO SANTO… (Lc 1,5-25) – Texto de Antônio Carlos Santini, da Comunidade Católica Nova Aliança.

zachariasNeste Evangelho, temos uma outra “anunciação”. O mensageiro divino manifesta ao sacerdote Zacarias, junto do altar, que lhe seria dado um filho em plena velhice. Entre os traços desse menino, diz ele, será “cheio do Espírito Santo”.
Como em toda vida humana, o nascimento de João corresponde a uma vocação necessária. Deus “precisa” de alguém que prepare o povo para a vinda do Messias. João foi o escolhido. Mas o esforço humano, habilidades e dedicação são insuficientes para o cumprimento de nossa missão. Por isso mesmo, o menino será dotado da plenitude do Espírito de Deus. É com tal dinamismo que ele exercerá o seu papel na história dos homens.
A mesma expressão aparecerá após Pentecostes, em situações registradas nos Atos dos Apóstolos, seja na vida de Pedro (At 4,8), de Estevão (At 7,55), de Paulo (At 9,17; 13,9), de Barnabé (At 11,24) ou dos discípulos em geral (At 2,4; 4,31; 6,3; 13,52). A cooperação entre o Espírito e a Igreja (cf. At 9,31) é que permitirá a expansão do Evangelho e o crescimento da Igreja de Cristo. A Igreja primitiva tinha a consciência muito clara de que não realizava uma tarefa humana, mas agia impelida pelo Espírito de Deus, sem o qual se veria incapaz para a missão.
São Paulo insiste nessa evidência: “Vós, porém, não viveis segundo a carne, mas segundo o espírito, se realmente o Espírito de Deus habita em vós. Se alguém não possui o Espírito de Cristo, este não é dele.” (Rm 8,9.) Nem mesmo a oração – que pareceria tarefa bem fácil – levaremos adiante sem a mesma sustentação: “Outrossim, o Espírito vem em auxílio à nossa fraqueza, porque não sabemos o que devemos pedir nem orar como convém, mas o Espírito mesmo intercede por nós com gemidos inefáveis. E Aquele que perscruta os corações sabe o que deseja o Espírito, o qual intercede pelos santos, segundo Deus.” (Rm 8,26-27.)
Em nossos tempos, é comum o engano de iniciar projetos – mesmo dentro da Igreja – quando se conta apenas com as forças e recursos humanos. Como resultado, muita agitação, muito cansaço, muitos fracassos. Os santos, ao contrário, mesmo sem dinheiro e sem o apoio dos poderosos, ergueram obras admiráveis para servir em especial aos pequeninos deste mundo.
E nós? Com quem estamos contando para cumprir a nossa missão? Abrimo-nos à ação do Espírito em nossas vidas?

Orai sem cessar: “É o espírito de Deus no homem e um sopro

                           do Todo-poderoso que o torna inteligente.” (Jó 32,8)

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s