DA SUA PENÚRIA… (Lc 21,1-4) – Texto de Antônio Carlos Santini, da Comunidade Católica Nova Aliança.

Lc 21,1-4Esta viúva pobrezinha do Evangelho está na contramão do sistema capitalista. Desde criança, ouvimos frases como esta: “Quem dá o que tem, a precisar vem!” Trabalhar para acumular dinheiro, terras e rebanhos sempre foi reconhecido como louvável virtude. Chamava-se “previdência”. Os homens ainda são elogiados por terem sucesso neste campo. Já o “mão-aberta” é visto como um esbanjador sem juízo. Com frequência, os economistas comparam o comportamento de brasileiros e japoneses, realçando nestes últimos a sua capacidade de poupança.
Ora, a pobre viúva elogiada por Jesus faz exatamente o contrário: tinha pouco, quase nada, duas ínfimas moedinhas de cobre. Pois o pouco que possuía, ela doou como esmola, no cofre do Templo de Jerusalém. Em sua generosa simplicidade, quis dessa maneira manifestar a Deus o seu sentimento religioso.
A gente simples do povo ainda costuma fazer coisas semelhantes: gastam dinheiro com velas votivas e ex-votos, com romarias e peregrinações, doam cabeças de seu pequeno gado para leilões do santo padroeiro.
É verdade que nas classes mais ricas a generosidade também existe, ainda que em menores proporções. Quando o coração humano fica preso aos bens materiais, logo perde sua capacidade de doação. Segundo os párocos, a maior parte dos dizimistas sai das camadas mais pobres da população. O edifício dos templos costuma ser construído com os palpites dos ricos e a esmola dos pobres…
Mas não é só com doações em dinheiro que a generosidade se manifesta. Muita gente é generosa em doar seu tempo, como voluntários em creches e hospitais, evangelizando nas penitenciárias, rezando nas enfermarias, organizando associações em favelas e bairros de periferia. Tal como a viúva no Templo, cada um dá “de sua penúria”.
Na 2ª Carta aos Coríntios, o apóstolo Paulo nos exorta: “Dê cada um conforme o impulso de seu coração, sem tristeza nem constrangimento. Deus ama o que dá com alegria. Poderoso é Deus para cumular-vos com toda espécie de benefícios, para que tendo sempre e em todas as coisas o necessário, vos sobre ainda muito para toda espécie de boas obras.” (2Cor 10,7-8)
E nós? Temos partilhado com os mais necessitados a abundância de dons que de Deus recebemos? Ou ainda estamos hesitantes em trocar a humana previdência pela divina Providência?

Orai sem cessar: “Como retribuir ao Senhor todo o bem que me fez?”
(Sl 116,12)
Anúncios

Um pensamento sobre “DA SUA PENÚRIA… (Lc 21,1-4) – Texto de Antônio Carlos Santini, da Comunidade Católica Nova Aliança.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s