ELE FEZ TUDO BEM! (Mc 7,31-37) – Texto de Antônio Carlos Santini, da Comunidade Católica Nova Aliança.

ele fez tudo bemEis um belo elogio para Jesus Cristo! Nos Atos dos Apóstolos, São Lucas registra o discurso de Pedro na casa do centurião Cornélio. Falando de Jesus, Pedro testemunha: “Ele passou por toda parte como benfeitor, curava todos que o diabo mantinha escravizados, pois Deus estava com ele.” (At 10,38) Uma outra tradução diz: “Ele passou a vida fazendo o bem…”
Curar um surdo-mudo (como neste Evangelho), devolver a visão aos cegos, limpar o leproso de seu mal, perdoar os pecados e regenerar o pecador – aqui estão alguns sinais da irradiação do BEM na vida de Jesus. Sem dúvida, mais que belos discursos ou mesmo sinais de poder, era essa “bondade” de Jesus que atraía as pessoas. O Espírito que repousava sobre Jesus (Lc 4,18) se manifestava em frutos palpáveis, como a ternura pelas crianças, a compaixão pela viúva, a paciência com os discípulos, a fortaleza na hora da cruz.
Aqui, temos critérios para avaliar nossa vida cristã. Quem convive conosco percebe em nós essa irradiação do Espírito Santo sob a forma daquilo que o São Paulo chama de “frutos do Espírito”? Na Carta aos Gálatas (5,22-23), o Apóstolo faz uma breve relação desses frutos, que se manifestam não sob a forma de poder, mas de virtudes: caridade e alegria, paz e paciência, afabilidade e bondade, fidelidade, brandura e temperança.
Prontamente vêm à nossa lembrança os vultos de Francisco de Assis e de Vicente de Paulo, de Madre Teresa de Calcutá e de João Paulo II. Mas surgem também as imagens inesquecíveis de uma avó já falecida, de uma catequista que modelou nossa fé infantil, de uma professora que foi nossa primeira namorada. Nelas, também, estavam vivas a delicadeza e a paciência. Delas sempre brotava uma boa palavra. Nelas sempre tínhamos um colo macio e braços acolhedores.
Pode ser que nunca pensamos nessas pessoas como santos. Nesse tipo de gente, a santidade é tão “natural”, que parece apenas um jeitinho de ser. No entanto, só Deus sabe quantos combates enfrentaram, na família e no trabalho, para serem permeáveis ao Espírito de Deus, o mesmo Espírito que corria de Jesus como um caudaloso rio de água viva…
E nós? Quando começaremos a fazer o bem?

Orai sem cessar: “O desejo dos justos é unicamente o bem.” (Pr 11,23)

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s